Quando Recebi o Espírito Santo

Quando eu participava da igreja a qual cresci e que me levou a ser um religioso acreditava que o Espírito Santo era privilégio de alguns poucos de alto status.

Quando eu Era Religioso
Como citado na história anterior eu cria que quem fosse contra o que eu acreditava ser certo estava errado. Ouvíamos muito falar sobre o movimento evangélico que estava na moda na época mas não sabia ao certo de que se tratava. Me lembrava que na igreja que frequentava se falava que era algo diabólico até que um dia ouvi minha tia falar algo sobre um jovem mais novo que eu que me chamou a atenção. Ela disse a minha mãe que esse rapaz havia participado desse movimento e que havia sido batizado com o Espírito Santo. Fiquei com isso na cabeça pois fiquei imaginando que se aconteceu com ele poderia acontecer comigo também.
O tempo passou afastei da igreja, continuei com a mentalidade religiosa, mas cheia de dúvidas, de pressões internas que me chamavam pra Deus, mas  me questionando se Deus era aquilo mesmo que eu havia me acostumado quando ia na igreja.
Foi quando fui convidado a ir numa célula, meu irmão e minha mãe iam de vez em quando e me chamaram. Minha vida já estava mergulhada na depressão e então eu decidi ir. Chegando lá recebi abraços que hoje sei, foram abraços do próprio Deus. Comecei a frequentar as reuniões sem saber que já estava no tal movimento. Comecei a ir na igreja e sempre me convidavam a ir ao Encontro que eles realizavam todo mês mas sempre algo dava errado.
Até que um dia eu conheci a rede de jovens daquela igreja, um pastor muito simpático, com uma palavra simples de se entender, direcionada a jovens e muito penetrante. Eles iam fazer um evento só para jovens e eu resolvi ir.
Cheguei lá cheio de paradigmas, a curiosidade e o medo me dominava. Pensava que aquele evento seria o tão falado movimento. Chegando naquela chácara vi jovens vestidos como todo mundo, com boné, mulheres de calça jeans, e tantas outras coisas que na minha cabeça era pecado mas apesar disso que buscavam a Deus com toda a força, que adoravam, que oravam, que eram cheios do Espírito Santo.
De repente o pastor coloca um vídeo de um pastor de jovens lá de Manaus que era da igreja que iniciou o movimento no Brasil, foi aí que percebi que estava nesse movimento até no pecoço rsrsrs. A pregação era sobre ganhar vidas, multiplicação e essas coisas mais... Depois da pregação já era alta madrugada começamos a orar e adorar e o Espírito Santo começou a se manisfestar, foi sobrenatural, nuca tinha visto aquilo. No meu coração eu me perguntava como aquilo era possível, eu queria também, mas nada acontecia comigo.
Então de repente o pastor pediu que quem ainda não havia recebido o batismo com o Espírito Santo fosse para fora que ia fazer algo. Saímos pra fora, uns 15 no meio de mais de 100, ele fechou a porta e falou sem o microfone com os que estavam do lado de dentro. As portas se abriram e os que estavam lá dentro haviam feito um corredor humano para que os que estavam do lado de fora passassem. Fomos passando em fila e a maioria recebeu o Espírito Santo e eu não.
Naquela noite fui dormir muito triste e de manhã o pastor deu uma palavra que eu nunca me esqueço. Me lembro até de onde eu estava sentado. Ele se dirigiu a quem não recebeu o batismo naquela madrugada. Explicou sobre o Espírito Santo, ensinou o caminho para receber e eu decidi que queria buscar o batismo.
Terminado o evento eu voltei para casa com algo na cabeça de que se aquele movimento era do diabo eu queria ser do diabo pois nunca tinha sentido tanta paz em minha vida.
Depois de tanta insistência resolvi ir no tão falado Encontro, cheio de medos e paradigmas. Minha vida não foi mais a mesma pois vi Deus da forma com Ele realmente é, fui liberto de várias coisas entre elas, traumas, e a maldita religiosidade e o melhor recebi o Batismo com o Espírito Santo.
Desde então tenho experimentado um relacionamento mais intenso com Deus a cada dia e sei que nunca vou conhecê-lo na totalidade mas que um dia estarei junto a Ele na eternidade pelo sacrifício de Cristo na cruz e enquanto isso o Espírito Santo está comigo me guiando e consolando.
Não devo isso ao movimento G12, do qual nem participo mais, mas sim aos ensinamentos verdadeiros sobre a palavra de Deus, sem preconceitos religiosos. Aprendi com isso que a religiosidade afasta o homem de Deus, por isso que ainda hoje procuro não julgar nenhuma manifestação que apresente Deus como Ele realmente é às pessoas. Religião mata, Jesus liberta!

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.